Consórcio de imóvel: Como funciona?

Data da postagem: 04/02/2020


O que é um sistema de consórcio habitacional?

Este modelo de pagamento vem como opção para quem não pode assumir o valor de um imóvel ou terreno à vista e também não consegue arcar com um sistema de financiamento tradicional.

Para entender como funciona uma compra pelo consórcio de imóvel é só imaginar um grupo de pessoas que enfrenta a mesma situação: todas desejam uma casa própria, mas nenhuma tem o valor em mãos.

Em um determinado momento elas se juntam para contribuir, todo mês, com uma quantia que está ao seu alcance.

Todos pagarão valores iguais, o que no final do mês deve ser equivalente ao valor de uma casa. Para decidir quem fica com ela, será feito um sorteio com os colaboradores.

Como posso comprar uma casa por sistema de consórcio?

Os grupos que se juntam para formar a poupança coletiva são de responsabilidade de uma empresa administradora de consórcio de imóvel. Ela que divide os interessados a partir do valor que pode ser gasto por cada um.

As empresas também devem garantir, mensalmente, reunião dos membros em assembleia, para que aconteçam as contemplações e discussão de informações do interesse dos participantes.

Quais são os juros e taxas de um consórcio de imóvel?

Quem opta por um sistema de consórcio não precisa arcar com juros, umas vez que o dinheiro que é arrecadado todo mês serve para comprar casas à vista. Está também é um dos principais benefícios dos consórcios em relação aos sistemas de financiamentos ordinários.

Mas isto não quer dizer que os consórcios não cobram taxas. Você ainda será responsável por:

  • Taxa de administração: remuneração da administradora pela gestão do consórcio;
  • Fundo comum: que configura no valor empregado na compra do imóvel;
  • Seguros: de vida;
  • Fundo de reserva: para proteger todo o grupo de consórcio em casos de inadimplência de algum dos membros. Caso o valor não seja utilizado ele volta para os requerentes.

Inscrições em um sistema de consórcio de imóvel

A burocracia enfrentada por quem quer se inscrever em um sistema de consórcio é menor do que a dos financiamentos tradicionais.

A análise de crédito nessa modalidade tende a ser mais flexível com quem não consegue comprovar uma renda fixa, o que favorece os trabalhadores autônomos, por exemplo.

Em alguns casos, também é possível aderir a um plano de consórcio mesmo com restrição de crédito. No entanto, a situação precisará estar regularizada para o recebimento da carta de crédito, o que exige um bom planejamento por parte do interessado.

Fonte: https://fdr.com.br/2020/01/15/consorcio-de-imovel-como-funciona/