Indicadores do consórcio de motocicletas iniciam 2021 em alta

Data da postagem: 22/04/2021


O consórcio de motocicletas iniciou o ano repetindo o bom desempenho alcançado em 2020. Dados de janeiro de 2021, divulgados pela assessoria econômica da ABAC, indicam expansão em cinco indicadores. São eles: cotas, faturamento, participantes ativos e créditos concedidos. A exceção foi o indicador de contemplações, que permaneceu estável.

Em janeiro, foram vendidas 93,95 mil cotas do consórcio de motocicletas. Dessa forma, as adesões cresceram em duas bases de comparação. O percentual foi de 1,9%, na comparação com dezembro de 2020,  quando ocorreram 89,59 mil adesões. Porém, quando comparado ao desempenho de janeiro de 2020, a alta no indicador chega a 4,9%. Naquela ocasião, o segmento vendeu 89,59 mil cotas.

Vale destacar que não foi apenas a quantidade de cotas vendidas que aumentou. Cresceu também o valor médio dessas cotas. Em janeiro de 2020, o chamado tíquete médio mensal ficou em R$ 13,89 mil. Um ano depois, em janeiro de 2021, houve valorização de 3,2%, chegando a R$ 14,34 mil.

Com a alta na quantidade de cotas vendidas e no valor médio dessas cotas, consequentemente cresce também o volume de créditos comercializados. Assim é chamado o indicador que representa a somatória de todos os contratos de consórcio firmados em determinado período. Aqui, o crescimento em relação a janeiro de 2020 foi de 8,9%. Passou de R$ 1,24 bilhão, no ano passado, para R$ 1,35 bilhão, em janeiro de 2021.

Créditos do consórcio de motocicletas: mais de R$ 500 milhões

Apenas no mês de janeiro, o Sistema de Consórcios disponibilizou R$ 576,84 milhões em créditos para a compra de motocicletas. O volume supera em 2,2% os R$ 564,25 milhões. Esses valores foram colocados à disposição de 40,22 mil consorciados que foram contemplados. O total de contemplações permaneceu estável em relação a 2020.

Com o volume de mais de 40 mil contemplações, o consórcio de motocicletas alcançou uma participação potencial de 46,9% no País. Isso porque, segundo dados da ABRACICLO, foram comercializadas 85,8 mil unidades em janeiro. Esse percentual é considerado potencial porque cabe ao consorciado decidir o momento de adquirir o seu bem. Ele corresponde a quase uma moto a cada duas comercializadas.

Para finalizar, o indicador de participantes ativos. Aqui, são contabilizados aqueles consorciados que estão em grupos de consórcio e já foram contemplados e continuam pagando suas prestações ou aqueles que ainda aguardam a contemplação. Em janeiro, esse quantitativo fechou em 2,26 milhões de participantes ativos. Com o resultado, a alta foi de 6,1% em relação aos 2,13 milhões de consorciados em janeiro de 2020.


Fonte: https://blog.abac.org.br/drops-de-mercado/consorcio-de-motocicletas-indicadores-alta-2021