Como se organizar para participar de um consórcio? Veja dicas.

Como se organizar para participar de um consórcio? Veja dicas.

Publicado em 24/04/2019
Compartilhar

Como outros investimentos, o consórcio precisa de planejamento para evitar que se torne um peso para você. Veja algumas dicas.

Muito se fala sobre as incontáveis vantagens que o consórcio representa para quem busca investimentos de longo prazo. A inexistência de taxas de juros, a possibilidade da contratação de planos com números de parcelas que atendam à sua necessidade, valores mensais corrigidos apenas uma vez por ano*… De fato, a modalidade é apontada como um dos caminhos como melhor custo benefício para a realização do sonho da casa própria ou do carro zero quilômetro, por exemplo. Mas ela também requer planejamento.

Como qualquer investimento de longo prazo, aplicar em consórcio exige organização, de forma que o valor não precise ser utilizado diante de contratempos como emergências de saúde, a perda do emprego ou descontrole de gastos.

E há algumas formas de tentar assegurar a tranquilidade financeira mesmo durante o período em que você estiver investindo no consórcio. Confira as dicas que a Unifisa preparou!

Quanto você pode investir?

O primeiro e mais importante passo é estabelecer exatamente qual o tamanho da parcela que cabe no seu orçamento. Aqui é preciso conhecer exatamente quais as suas despesas mensais e quanto você conseguiria dedicar a um consórcio sem precisar passar por apertos financeiros. Planeje os próximos meses considerando:

  • Financiamentos existentes (carro, casa, eletrônicos, móveis);
  • Despesas mensais permanentes (água, luz, gás, aluguel, celular);
  • Transporte, combustível, estacionamento;
  • Alimentação e supermercado;
  • Faturas de cartão de crédito (considere aqui compras parceladas e despesas com roupas e medicamentos);
  • Lazer e diversão;
  • Pequenas despesas diárias (padaria, mercearia, farmácia etc.).

Feita esta conta, veja quanto ainda cabe no orçamento. O ideal é que, além do valor da parcela, reste uma reserva de segurança. Sugerimos que o valor da parcela comprometa no máximo até 30% de sua renda mensal.

Escolha o consórcio adequado

Agora que você sabe exatamente quanto pode investir, é hora de determinar o valor de crédito que deseja e o prazo do consórcio. A dica aqui é ter claro o preço do imóvel que deseja comprar – e contratar o valor exato. Imagine que você contrate um valor inferior ao do imóvel que tem em mente. Como vai arcar com a diferença quando for contemplado? E, se for o contrário, por que se arriscar e assumir um compromisso de longo prazo maior do que precisa?

Imprevistos acontecem

Desde um problema mais sério com o carro até a perda do emprego. Quando falamos em investimento de longo prazo, muita coisa imprevista pode acontecer. E você precisa estar preparado. Justamente por isso, além de contratar o consórcio de valor mais adequado para o seu orçamento, é importante, se possível, montar uma reserva financeira. Esse saldo pode ser colocado em aplicações de alta liquidez, que permitem saques sem demora em caso de emergência. Assim você garante tranquilidade e evita eventuais necessidades de recorrer a empréstimos ou atrasos no pagamento do consórcio.

Prepare-se para ser contemplado

Quando você compra um novo bem, ele traz junto uma série de novas despesas para a rotina. Por exemplo, documentação, impostos, manutenção, seguro, limpeza… Isso tudo tem custo e você precisa se preparar para que o sonho não vire pesadelo. Durante o prazo do consórcio, encaixe esses custos nas despesas. Assim, quando for contemplado, você usufruirá tranquilamente da sua nova conquista.

*Quando especificado em contrato que o consórcio será reajustado por algum índice, como IGPM ou INCC, a correção ocorrerá 1 vez por ano. Se a correção for pela tabela do fabricante, toda vez que houver alteração de tabela o valor da parcela será reajustado.
Por AE Digital

Deixe um comentário

1
Aviso (Meu Consórcio)